Oração da Serenidade



Deus, concedei-me,
A serenidade para aceitar as coisas que eu não posso modificar;
Coragem para modificar as coisas que posso, e
Sabedoria para saber a diferença.
Vivendo um dia de cada vez;
Desfrutando um momento por vez;
Aceitando as dificuldades como o caminho da paz;
Tomando, como ele fez, este mundo pecaminoso como ele e, não como eu gostaria que fosse;
Confiando em que ele fará todas as coisas certas se eu submeter-me a sua vontade.
Que eu possa ser razoavelmente feliz nesta vida;
E infinitamente feliz com ele para sempre na próxima.
Amém.

sábado, 22 de junho de 2013

residencia fora do municipio

C O M U N I C A D O 124/13


Autorização para residir fora do Município de São Paulo


Considerando que conforme previsto na Lei 8989/79, art. 178 – São deveres do servidor, inciso VI – residir no Município ou, mediante autorização, em localidade próxima,

Considerando que independentemente de solicitação, ficam os funcionários municipais autorizados a fixar residência na Região Metropolitana de São Paulo – Grande São Paulo – estabelecida pela Lei Complementar nº 14 de 18 de junho de 1973 e constituída dos seguintes Municípios: São Paulo, Arujá, Barueri, Biritiba-Mirim, Caieiras, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Diadema, Embu, Embu-Guaçu, Ferraz de Vasconcelos, Francisco Morato, Franco da Rocha, Guararema, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Itapevi, Itaquaquecetuba, Jandira, Juquitiba, Mairiporã, Mauá, Mogi das Cruzes, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Poá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Salesópolis, Santa Izabel, Santana do Parnaíba, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Suzano e Taboão da Serra, e

Visando unificar critérios para autorização de fixação de residência fora do Município de São Paulo.

Resolve:

1. Quando tratar-se de localidade próxima, mas não compreendida na Região Metropolitana de São Paulo, a autorização dependerá de requerimento e fica restrita a uma distância máxima de 70 KM.

     Na análise do requerimento será verificada a existência de interesse publico para fim de deferimento.

2. As autorizações concedidas com base nesta Ordem Interna não têm validade como atestado de residência e não dispensa o servidor do dever de comunicar por escrito sua Chefia, sempre que ocorrer eventuais alterações de endereço, de modo a manter seu cadastro atualizado.

3. A autorização de que trata esta Ordem Interna, não dispensa o servidor do cumprimento da jornada de trabalho a que estiver sujeito, nem de outras obrigações estatutárias.

4. Esta Ordem Interna entra em vigor na data de sua publicação.


CARLOS ROBERTO BARRETTO
Chefe de Gabinete
SMSU
   


S.M.S.U/ ASSESSORIA DE IMPRENSA E COMUNICAÇÃO
Rua Augusta, 435 – Consolação – CEP 01305-000 - São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário