Oração da Serenidade



Deus, concedei-me,
A serenidade para aceitar as coisas que eu não posso modificar;
Coragem para modificar as coisas que posso, e
Sabedoria para saber a diferença.
Vivendo um dia de cada vez;
Desfrutando um momento por vez;
Aceitando as dificuldades como o caminho da paz;
Tomando, como ele fez, este mundo pecaminoso como ele e, não como eu gostaria que fosse;
Confiando em que ele fará todas as coisas certas se eu submeter-me a sua vontade.
Que eu possa ser razoavelmente feliz nesta vida;
E infinitamente feliz com ele para sempre na próxima.
Amém.

sábado, 31 de agosto de 2013

Policia Comunitária ou Policia de Comunidade


Policia Comunitária ou Policia de Comunidade



           A grande parábola do não juízo da população sobre o real papel das policias construídas bem como  o comportamento arredio da sociedade  em relação as policias  não é resultado apenas das tensões e conjuntura atual, mas sim de uma cultura histórica  dos Brasileiros ao longo das décadas  .
                 Se observarmos a finalidade da Polícia Comunitária que intitula-se como uma metodologia e uma estratégia  das organizações, que poderia proporcionar  parceria entre a população e a polícia, pois se baseada no conceito de que tanto a polícia como a sociedade devem trabalhar conectadas no sentido de identificar, priorizar e resolver problemas locais de desordem urbana diversas, até mesmo a degradação de bairros   ,
                 O policiamento comunitário segundo especialistas, baseia-se na premissa  de que os problemas locais estão demarcados em perímetro e território minúsculo e exclusivista frente a demanda crescente atual relegada a segundo plano  tendo com isto soluções cada vez mais paliativas e deficiente, na medida em que necessitaria acontecer a participação atuante de todos na  identificação,  análise, diagnóstico e discussão dos problemas que surgem.
                  Logo a instituições voltadas neste processo  ainda não atingiram seu objetivo fim, visto a complexidade de implantar uma metodologia modernista e a falta de solução de continuidade já que a cultura é centrada e  fundamentada na rotatividade do agente que dentre vários fatores podemos citar  as peculiaridades dos planejamentos de segurança, demandas imediatista e o baixo capital intelectual dos agentes sem contar com a cultura policialesca tradicional tornou-se arcaica e  anacrônicas num modelo ultrapassado que as forças ainda ostentam e se espelham.
                 O agente em tese deveria ser propagador da paz e noção de cidadania, promovendo a participação ativa de todos nos  territórios em que presta serviço com apoio dos escalões verticalizado da polícia nos problemas que aflige a comunidade.
                Em contrapartida a policia de comunidade é uma metodologia puramente social simplista centrada e difundida no engajamento do policial em sua área de atuação profissional e convivência civil no entorno de sua residência, com proposta humanísticas e mediadora voltadas a sustentabilidade da sociedade local  e  participação direta e ativa nos problemas que surgem  não só de desordem urbana, mas nos fatos corriqueiros periféricos que acontecem e demandam  ações diretas na educação, saúde, da administração municipal local e principalmente no socorro e preservação da vida  do munícipe e demais afins.
                Nesta lacuna devemos posicionar as Guardas Municipais pois adquirindo a nítida percepção que esta acontecendo um fenômeno intrigante de desvirtuamento latente da sociedade com individualização sistêmica da personalidade,  e  total desaparecimento dos grupos de referência familiar como ainda lenta desintegração que por completo  da cidadania que a instituição deveria atuar como forma viável de opção.
                 Com a experiência média  entre as Guardas municipais que giram entorno  de 25 anos sempre engajada  na policia de comunidade em seus territórios municipais no  dia a dia,  devemos acreditar que seja para a atual fase em que  se encontram ser a mais coerente  como alternativa vindoura de modelo para uma sociedade jovial em constante desenvolvimento.
                 Mesmo com as problemáticas discorridas, a sociedade dispões de uma ferramenta eficaz que ainda não esta  sendo utilizada na integra para defesa que são os conselhos comunitários de seguranças locais como fenômeno emergente e que poderia se tornar o palco de discussões e experiência e aplicáveis na segurança local.

                  A criação desses espaços de diálogo e interação  ainda enfrenta desafios em termos de condições práticas de realização para atuar no complicado, movediço e nevoento campo da segurança pública, mas poderá num vindouro próximo, ser um dos  viés importante a ser explorado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário