Oração da Serenidade



Deus, concedei-me,
A serenidade para aceitar as coisas que eu não posso modificar;
Coragem para modificar as coisas que posso, e
Sabedoria para saber a diferença.
Vivendo um dia de cada vez;
Desfrutando um momento por vez;
Aceitando as dificuldades como o caminho da paz;
Tomando, como ele fez, este mundo pecaminoso como ele e, não como eu gostaria que fosse;
Confiando em que ele fará todas as coisas certas se eu submeter-me a sua vontade.
Que eu possa ser razoavelmente feliz nesta vida;
E infinitamente feliz com ele para sempre na próxima.
Amém.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

verdade ou mito

Aposentadoria a causadora da inércia nas Guardas

           Devido mudanças de regras que  ocorreu com a promulgação da Constituição Federal em 5 de outubro de 1988, criou-se O marco inicial da normatização previdenciária do setor público em especial levando em consideração basicamente o tempo de serviço desde que preencha, cumulativamente, os requisitos ou a idade dos servidores públicos.
            Porem dentre estas conquistas dos servidores, criou-se o viés da  aposentadoria especial, ou seja, com tempo de serviço reduzido a 25 anos de atividade, em virtude da nocividade insalubridade ou em virtude do risco que a vida da atividade policial.
            Vinte cinco anos se passaram de intensas atividades e conquistas das mais diversa tanto positiva como negativa, porem naturalmente as instituições  Guardas Municipais, joviais como o ser humano na época cresceram  se desenvolveram , tornam-se adultas  e muitas devidos seu contingente já adentrar com idade que somadas hoje, já estão naturalmente declinando para um envelhecimento irreversível.
             Neste anos muitas legislações foram proposta, dentre estas como exemplo a   PL nº 554, de 2010, trata de a mudança nas regras visto a necessidade de condicionar os servidores diferenciados a uma aposentadoria com mais qualidade de vida, pois então a aposentadoria especial ganhou força na categoria e inclusive com propostas até federais para a mudança de regra que é justa visto a peculiaridade da função.
            Muitas instituições se viram com várias solicitações de aposentadoria e vários mandados de injunção contra a regra atual que não são cumpridas pelos prefeitos e ainda tem se visto pareceres favoráveis proferidos por tribunais e instancias superiores com Guardas  aguardando o cumprimento de sentença.
           Comitantemente a este fenômeno o que se vem são algumas instituições fragmentadas pela duvida e expectativa futuras, pois é questão de tempo a conquista deste clamor profissional.
          Porem o grande dilema será alem de vários fatores que estão desestabilizando as instituições como  acomodação, desestímulo diminuição do ímpeto funcional , é inevitavelmente a perda latente do capital intelectual a experiência profissional de  milhares de especialista em segurança formados ao longo dos vários anos de serviço que acreditamos  será dificultoso a reposição deste a curto prazo. 
         O que se observa é que em algumas instituições mais antigas é que o efetivo deixa de produzir para fomentar a expectativa de futura nova vida pós instituição, sem contarmos que  quando chega seu sonho/objetivo não consegue se desvencilhar de seu recente passado.
         A dificuldades são imensas  nas Guardas pois criam-se grandes dilemas, dar oportunidades aos mais novos para reformular e seguir em frente ou se sucumbir ao futuro aposentado e estagnar a corporação por conta gratidão ao que se foi desenvolvido no passado.

        Os governantes devem iniciar tratativas para que esta problemática não venha interferir na segurança dos municípios  desenvolvendo mecanismos  de atividades definidas em legislação que efetivamente desenvolva uma sustentabilidade solida como a aplicação do principio de policiamento de comunidade em suas Guardas Municipais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário