Oração da Serenidade



Deus, concedei-me,
A serenidade para aceitar as coisas que eu não posso modificar;
Coragem para modificar as coisas que posso, e
Sabedoria para saber a diferença.
Vivendo um dia de cada vez;
Desfrutando um momento por vez;
Aceitando as dificuldades como o caminho da paz;
Tomando, como ele fez, este mundo pecaminoso como ele e, não como eu gostaria que fosse;
Confiando em que ele fará todas as coisas certas se eu submeter-me a sua vontade.
Que eu possa ser razoavelmente feliz nesta vida;
E infinitamente feliz com ele para sempre na próxima.
Amém.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

ocorrencia com gcm zona norte


Guarda-civil é baleado ao reagir a tentativa de assalto na Zona Norte de SP

Na troca de tiros, dois suspeitos do crime foram baleados; um fugiu.
Corregedoria da GCM vai apurar os fatos.
Do G1, em São Paulo
Tamanho da letra

Um guarda-civil metropolitano foi baleado na manhã desta quarta-feira (30) durante uma tentativa de assalto no bairro da Casa Verde, Zona Norte de São Paulo. De acordo com a Guarda Civil Metropolitana (GCM), ele estava de folga, sem uniforme, e reagiu ao assalto, baleando os dois suspeitos.

Segundo a GCM, o guarda andava em sua moto quando outro veículo do tipo com dois homens parou ao seu lado. Os dois anunciaram o assalto. O guarda não entregou a moto e começou uma troca de tiros.

O guarda foi atingido na perna e levado para o pronto-socorro de Santana. Os dois suspeitos também foram baleados, mas um conseguiu fugir. O outro foi levado para o Hospital do Mandaqui.

No início da tarde, o guarda foi transferido para o Hospital do Servidor Público. Segundo a GCM, seu quadro é estável.

A GCM informou que a corregedoria do órgão irá apurar o ocorrido. A assessoria de imprensa não soube dizer em que área o guarda trabalhava, mas informou que, caso ele trabalhe no operacional, ele pode ser afastado da área durante as investigações. O caso foi encaminhado para o 13º Distrito Policial, na Casa Verde. 

terça-feira, 16 de abril de 2013

bela noticia


15/04/2013 15h20 - Atualizado em 15/04/2013 15h20

Dez vítimas de agressão doméstica 




recebem 'botão do pânico' no ES



Aparelho aciona proteção à mulheres que sofrem violência em casa.
Expectativa é de que 100 pessoas sejam beneficiadas até o final do mês.

Do G1 ES
6 comentários
Mulheres participaram de entrega de dispositivo. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Mulheres participaram de entrega de dispositivo.
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)
O Dispositivo de Segurança Preventiva (DSP), conhecido popularmente como botão do pânico, foi entregue para 10 mulheres vítimas de violência doméstica no Espírito Santo, na manhã desta segunda-feira (15), no Salão Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), em Vitória. De acordo com o órgão, as beneficiadas estão sob medida protetiva, como as que determinam que o agressor saia de casa ou mantenha uma distância mínima das vítimas. A expectativa é de que 100 mulheres sejam beneficiadas até o final do mês. 
O botão do pânico é um dispositivo eletrônico de segurança preventiva que possui GPS e também gravação de áudio. No momento em que o botão é pressionado, disponibiliza um processo de escuta e a central de monitoramento recebe um chamado. A Guarda Municipal da capital disponibilizará quatro viaturas para atenderem exclusivamente as demandas relacionadas à Lei Maria da Penha geradas por meio do dispositivo.
As primeiras mulheres com o botão do pânico participaram de audiência com a juíza Clésia dos Santos Barros, titular da 11ª Vara Criminal de Vitória, com competência exclusiva para julgar crimes relacionados à violência doméstica. Segundo Clésia, atualmente cerca de 4,5 mil mulheres estão sob medida protetiva em Vitória e um dos objetivos da justiça é tornar o botão do pânico acessível a todas elas em algum momento.
De acordo com a secretária nacional de enfrentamento à violência contra as mulheres, Aparecida Gonçalves, o projeto pode ser expandido pelo governo federal. "O Espírito Santo e Alagoas são os estados que mais preocupam no mapa da violência contra a mulher, mas temos visto que os governos têm tomado providências para no mínimo diminuir o número de assassinatos. Esse projeto é o primeiro que efetivamente se concretiza na questão das medidas protetivas das mulheres e nós estamos aqui para ajudar, observar, construir. Se der certo, e acredito que vai dar, ele será um projeto de interesse do governo federal, para se expandir pelo país inteiro", frisou.
Botão do pânico poderá ser acionado por vítimas de agressão moradoras de Vitória. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)Botão do pânico poderá ser acionado por vítimas
de agressão. (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
O presidente do Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Fonavid), juiz Álvaro Kalix, destacou na manhã desta segunda-feira (15), que o Botão do Pânico passará a ser uma das mais importantes ferramentas de controle das medidas protetivas a mulheres vítimas de violência. “Precisamos evitar que o mal maior aconteça. Não basta apenas punirmos os agressores; é importante que nós, magistrados, tenhamos mecanismos eficientes para coibir um delito contra mulheres. O Botão do Pânico vai antecipar a chegada dos agentes de segurança a um local de possível agressão”, afirmou o juiz.
Todas as mulheres, previamente intimadas para assinar termo de compromisso quanto ao uso do botão do pânico, são vítimas de violência e possuem medida protetiva contra os agressores, pois, apesar das providências adotadas no âmbito da Justiça, estão em risco contínuo. “Estamos aqui para explicar que o botão deve ser utilizado especificamente no caso de violações de medida protetiva”, explicou a diretora institucional do Instituto Nacional de Tecnologia Preventiva (INPT), Franceline de Aguilar Pereira.
Intimidações
Alguns relatos durante a audiência apontam as intimidações sofridas no dia-a-dia. São mensagens eletrônicas, telefonemas e até recados pelos amigos, que deixam vítimas temerosas por suas vidas e de familiares. Um ex-companheiro, mesmo vivendo outro relacionamento, continua ameaçando a ex-mulher. “Quero lembrar que a Vara de Violência Doméstica, mesmo após o Botão do Pânico, continuará de portas abertas para que as vítimas comuniquem o que quiserem contra agressores”, afirmou a magistrada Clésia Barros.
A juíza ainda lembrou que em caso de ameaça contra familiares o botão também pode ser acionado. “Um ato contra seu familiar é para te atingir, por isso, a Central de Atendimento pode ser acionada”, comunicou.
Funcionamento
Além de receber a localização exata do dispositivo enviada pelo GPS, a Central de Monitoramento iniciará a gravação do áudio ambiente, que será armazenado em um banco de dados à disposição da Justiça. Toda a conversa poderá ser utilizada como prova judicial contra o agressor.