Oração da Serenidade



Deus, concedei-me,
A serenidade para aceitar as coisas que eu não posso modificar;
Coragem para modificar as coisas que posso, e
Sabedoria para saber a diferença.
Vivendo um dia de cada vez;
Desfrutando um momento por vez;
Aceitando as dificuldades como o caminho da paz;
Tomando, como ele fez, este mundo pecaminoso como ele e, não como eu gostaria que fosse;
Confiando em que ele fará todas as coisas certas se eu submeter-me a sua vontade.
Que eu possa ser razoavelmente feliz nesta vida;
E infinitamente feliz com ele para sempre na próxima.
Amém.

sábado, 10 de maio de 2014

curiosidades primeira guerra mundial

Nos 100 anos do início da 1ª Guerra Mundial, reunimos todos os reflexos que o conflito deixou no mundo até os dias de hoje. A necessidade de criar uma vantagem contra o inimigo durante o esforço de guerra é geralmente interpretado como a causa do desenvolvimento de tecnologias mortais. Foi durante a 1ª Guerra Mundial que máquinas como tanques, submarinos e artilharia foram usadas pela primeira vez. Na mesma medida, foi durante a chamada 'Grande Guerra' que armas como aviões, metralhadoras e granadas de mão foram inauguradas, sendo aperfeiçoadas para matar mais. Nos estágios iniciais da guerra, as novas armas com a tática antiga causaram um número absurdo de mortes, mas as táticas foram aprimoradas para combinar com a tecnologia
O gás clorino foi usado pela primeira vez na segunda babalha de Ypres. Sem proteção, as forças aliadas tiveram baixas enormes. O gás mostarda e outros gáses foram desenvolvidos pelos dois lados, inaugurando a era das armas químicas nas guerras, com muitas nações utilizando suas versões - costume até hoje em vigor, como visto na guerra civil da Síria
As conquistas tecnológicas da 1ª Guerra Mundial não são totalmente negativas, com o tratamento de saúde e o atendimento de feridos apresentando avanços. A Grande Guerra possibilitou as transfusões de sangue com a invenção dos bancos de sangue. Evoluiu especialmente o tratamento de queimaduras graves e cirurgias plásticas. O tratamento de pilotos e feridos nas trincheiras foi aperfeiçoado. Houve progressos expressivos também nos tratamentos de infecção bacteriana
Milhões de soldados foram executados nas trincheiras na 1ª Guerra Mundial sob a acusação de covardia. Historiadores acreditam que os homens estavam na verdade sob impacto do chamado 'choque de guerra', que mais tarde ficaria conhecido como Distúrbio de Stress Pós-Traumático. Milhares dos sobreviventes tiveram distúrbios mentais pelo resto da vida e isso acabou ajudando na criação de tratamentos
A Liga das Nações foi fundada depois da guerra com a missão principal de manter a paz mundial e mediar conflitos internacionais. A iniciativa falhou, tendo sido incapaz de impedir a 2ª Guerra Mundial, mas lançou as bases para a Organização das Nações Unidas, que hoje cumpre o papel de mediação
O fim da guerra e a Convenção de Paz de Paris fez com que a Alemanha fosse desmilitarizada e outras nações fossem formadas no processo. Durante a guerra, a Rússia teve a sua própria revolução política em casa, com o comunismo chegando ao poder. Na Alemanha, a depressão pós-guerra ajudou a empurrar o partido nazista de Hitler ao poder. Ambas as facções políticas extremistas ganharam apoio popular após a guerra, lançando as bases do conflito mundial seguinte
O terrorismo já existia antes da 1ª Guerra Mundial, na verdade o o assassinato do arquiduque Franz Ferdinando, na foto, foi o que provocou a guerra e foi um ato de terrorismo. O historiador Jay Inverno argumenta que a intenção do assassinato era 'forçar a Áustria-Hungria a uma reação violenta, que acabaria por prejudicá-la'. O ato terrorista de 28 de junho de 1914 foi bem-sucedido e até hoje guerras são desencadeadas por terrorismo, como no caso do 11 de setembro de 2001, que provocou a chamada 'Guerra ao Terror' no Afeganistão e depois no Iraque
Os EUA entraram na guerra no final e, mesmo assim, sofreram a mesma perda catastrófica de vidas que muitas outras nações. Além disso, através de seus recursos e desenvolvimento de armas, os EUA se tornaram uma nação credora que emergiu da guerra como um grande poderio financeiro, ultrapassando a Grã-Bretanha, que sofreu prejuízos financeiros e humanos enormes
Na medida em que o Império Otomano entrou em colapso durante a guerra, novas fronteiras em todo o Oriente Médio nasceram, com países sendo criados e problemas de longo prazo iniciados. O Iraque foi formado e dividido com a criação do Kuwait. São desta época também os limites criados em torno Israel, Líbano, Jordânia e Síria, regiões até hoje problemáticas. As implicações dessas decisões na diplomacia ainda estão sendo sentidas 100 anos depois
Embora o movimento feminista já estivesse em andamento antes da guerra, tornou-se uma força incontrolável depois dela. Muitas mulheres assumiram o trabalho de homens que foram lutar e não havia mais um vácuo óbvio com milhões de homens jamais voltando para casa. Em 1918, mulheres com mais de 20 anos puderam votar na Grã-Bretanha e todas já podiam votar na Alemanha a partir de 1919. Apesar de todo o processo levar um longo tempo para se desenvolver plenamente, a guerra marcou um importante início

Vida de um Guarda Civil Metropolitano

Em um momento inspirado, o autor do texto desabafou em uma comunidade de Direitos Humanos no Facebook sobre o que é ser GUARDA CIVIL (pois criticavam os policiais, só para variar). O texto é de uma pessoalidade ímpar e paradoxalmente gera uma identificação imediata por qualquer GCM. Sou quase como uma oração, por isso se você é GUARDA CIVIL leia até o fim e diga se já não se encontrou em alguma situação citada nestas linhas. Caso não seja GUARDA CIVIL, aconselho do mesmo modo a leitura. Talvez assim entenda o quanto esta profissão é árdua.

ANTES DE SER GUARDA CIVIL , EU FUI CARTEIRO;

ANTES DE SER CARTEIRO, FUI BOMBEIRO;

ANTES DE SER BOMBEIRO, FUI COBRADOR DE ÔNIBUS;

ANTES DE SER COBRADOR DE ÔNIBUS, FUI FUZILEIRO NAVAL;

E ANTES DE SER FUZILEIRO, FUI PALHAÇO DE CIRCO.

PARALELAMENTE A ESTAS PROFISSÕES, SOU DESENHISTA DE QUADRINHOS E PROGRAMADOR DE JOGOS PARA WEB,
ALÉM DE LECIONAR HISTÓRIA QUANDO ESTAVA NA faculdade.

Como desenhista de quadrinhos, ouço de alguns, SEMPRE, que sou um desocupado.

Como programador de jogos, ouço de alguns, SEMPRE, que sou um nerd idiota.

Como palhaço de circo, ouço de alguns, ATÉ HOJE, que aquilo é vida de vagabundo.

Como fuzileiro naval, ouvi de muitos, que fui um BONECO DO ESTADO .

Como cobrador de ônibus, ouvi de muitos, que eu era um ladrão, por não ter, às vezes, moedas de R$ 0,01 e R$ 0,05, para dar de troco.

Como carteiro, guardo cicatrizes, para o resto de meus dias, de mordidas de cães e de acidentes de trabalho, como atropelamentos, causados pelos “ZECAS” da vida, além de ouvir DE TODAS AS MÃES COM AS QUAIS ME DEPARAVA, que eu era “O HOMEM DO SACO” que iria raptar as criancinhas.

Como bombeiro, NUNCA recebi um “obrigado”, ao retirar um gatinho de uma árvore, nem por mergulhar num esgoto, para salvar uma pessoa que foi levada por uma enxurrada. Tive que aprender a me ACOSTUMAR com
isso, além de começar a compreender como a linha da vida é tênue e a matéria se desfaz por besteira.

Como GUARDA CIVIL, enfrentei O MAIOR CHOQUE CULTURAL DE MINHA VIDA, ao ter de argumentar com todo tipo de pessoas, do mendigo ao magistrado, entrar em todo tipo de ambiente, do meretrício ao monastério.

Como GUARDA CIVIL, fui PARTEIRO, quando não dava tempo de levar as grávidas ao hospital, na madrugada;

Como GUARDA CIVIL, fui psicólogo, quando um colega discutia com a esposa, diante da incompreensão dela, às vezes, com a profissão do marido;

Como GUARDA CIVIL, fui assistente social, quando tinha de confortar A MÃE DE ALGUMA VÍTIMA assassinada por não possuir algo de valor que o assaltante pudesse levar;

Como GUARDA CIVIL, fui borracheiro e mecânico, ao socorrer idosos e deficientes com pneus furados;

Como GUARDA CIVIL, fui pedreiro, ao participar de mutirões para reconstruir casas destruídas por enchentes;

Como GUARDA CIVIL, fui paramédico fracassado, AO VER UM COLEGA IR A ÓBITO A BORDO DA VIATURA;

Como GUARDA CIVIL, fui paramédico realizado, ao retirar uma espinha de peixe da garganta de uma criança;
Como GUARDA CIVIL, fui apedrejado por estudantes da mesma escola na qual estudei E FUI PROFESSOR, por pessoas do mesmo grêmio do qual participei;



Como GUARDA CIVIL, fui obrigado a me tornar gladiador em arenas repletas de terroristas, que são os membros de torcidas organizadas, em jogos de times pelos quais nem torço;

Como GUARDA CIVIL, sobrevivi a cinco graves acidentes com viaturas, nunca a menos de 120km/h, na ânsia de chegar rápido àquela residência onde a moça estava sendo estuprada ou na qual um idoso estava sendo espancado;

Como GUARDA CIVIL, fui juiz da vara cível, apaziguando ânimos de maridos e mulheres exaltados, que após a raiva uniam-se novamente e voltavam-se contra a POLÍCIA;

Como GUARDA CIVIL, fui atropelado numa BLITZ, por um desses cidadãos QUE POR MEDO DA POLÍCIA, AFUNDOU O PÉ NO ACELERADOR E PASSOU POR CIMA DE VÁRIOS COLEGAS;

Como GUARDA CIVIL, arrisquei-me a contrair vários tipos de doenças, ao banhar-me com o sangue de vítimas às quais não conhecia, mas que tinha OBRIGAÇÃO de TENTAR salvar;

Como GUARDA CIVIL, arrisquei contaminar toda a minha família com os mesmos tipos de doenças, pois ao chegar em casa, minha esposa era a primeira a me abraçar, nunca se importando com o cheiro acre de sangue alheio, nem com as manchas que tinha de lavar do uniforme;

Como GUARDA CIVIL, fui juiz de pequenas causas, quando EM MINHA FOLGA, alguns vizinhos me procuravam para resolver SEUS problemas;

Como GUARDA CIVIL, fui advogado, separando, na hora da prisão, os verdadeiros delinqüentes dos “LARANJAS”, quando poderia tê-los posto no mesmo barco;

Como GUARDA CIVIL, fui o homem que quase perdeu a razão, ao flagrar um pai estuprando uma filha, ENQUANTO A MÃE O DEFENDIA;

Como GUARDA CIVIL, fui guardião de mortos por horas a fio, sob o sol, a chuva e a neblina, à espera do RABECÃO, que, já lotado, encontrava dificuldade para galgar uma duna mais alta, ou para penetrar numa mata mais densa;

Como GUARDA CIVIL, fiquei revoltado, ao necessitar de um leito para minha esposa PARIR, e ao chegar NO HOSPITAL , deparar-me com um traficante sendo operado por um médico particular;

Como GUARDA CIVIL, fui o cara que mudou TODOS os hábitos para sempre, andando em estado de alerta 25 horas/dia, sempre com um olho no peixe e outro no gato, confiando desconfiado.

Como GUARDA CIVIL, fui xingado, agredido, discriminado, vaiado, humilhado, espancado, rejeitado, incompreendido.

Na hora do bônus, ESQUECIDO;
Na hora do ônus, CONVOCADO.

Tive de tomar, em frações de segundo, decisões que os julgadores, no conforto de seus gabinetes, tiveram meses para analisar e julgar.

E mesmo hoje, calejado, ainda me deparo com coisas que me surpreendem, pois afinal AINDA sou humano..

Não queria passar pelo que passei, mas fui VOLUNTÁRIO, ninguém me laçou e me enfiou dentro de uma farda, né? Observando-se por essa ótica, é fácil ser dito por quem está “DE FORA”, que minha opinião NÃO
IMPORTA, ou que simplesmente, não existe.

AMO O QUE FAÇO E O FAÇO PORQUE AMO. Tanto que insisto em levar essa vida; sei que terei de passar por tudo de novo, a qualquer hora, em qualquer dia e em qualquer lugar.

E O FAREI, SEM RECLAMAR, NEM RECUAR.

Creio que esta missão também faz parte da vida dos Policiais Militares ,civis e federais.
Que Deus abençoe a todos.

ATENÇÃO URGENTE

09/05/14 - As polícias Civil e Militar, junto com o Corpo de Bombeiros, agentes penitenciários e guardas municipais, estão repassando comunicado do Setor de Inteligência para que todos fiquem alertas neste domingo, Dia das Mães. Escutas telefônicas indicam que o Primeiro Comando da Capital (PCC) encomendou mortes de policiais – fardados ou à paisana – para essa data, além de atearem fogo a ônibus...

GUARDA MUNICIPAL DE COTIA (SP) SOFRE ATAQUE E MATA DOIS BANDIDOS EM CONFRONTO

Tiros. Medo. Pânico. Feridos. Mortos. O clima era de guerra na região do Morro do Macaco na noite desta quarta-feira (7/11).
Quase que simultaneamente duas trocas de tiros entre bandidos, supostamente da facção criminosa Primeiro Comando da Capital – PCC provocaram grande terror e tumulto.
Uma viatura da Guarda Civil de Cotia, com dois agentes, foi abordada por dois homens em um automóvel Vectra preto em frente ao hipermercado Extra por volta das 21 horas. Houve troca de tiros.


Segundo informações, um deles teria colocado uma metralhadora para fora do veículo e disparado contra a viatura. Os guardas, mesmo baleados, revidaram pelo parabrisa e conseguiram alvejar o individuo que estava no banco traseiro.
Praticamente todas as viaturas da Guarda de Caucaia, Cotia e Granja Viana foram dar apoio aos colegas e iniciaram a perseguição ao veículo.
Ao entrar na Rua Pelicano, os bandidos abandonaram o veículo e entraram na favela. Os guardas seguiram as manchas de sangue e foram até um barraco onde os três estavam trocando de roupa. Ao dar voz de prisão, um deles se rendeu. Os outros dois iniciaram novo tiroteio e na troca de tiros os dois foram alvejados. Eles foram socorridos ao Hospital de Cotia, onde já chegaram mortos. Outros dois foram presos.
Com eles foram apreendidos dois revólveres calibre 38 e uma metralhadora Uzzi. Os dois Guardas Civis foram socorridos ao Hospital de Cotia. Um dos tiros pegou nas costas do colete do motorista da viatura e o outro na axila do outro guarda. Dois bandidos ainda não identificados, atingidos na troca de tiros foram socorridos no Hospital de Cotia mas não resistiram aos ferimentos e morreram. Os guardas civis que não tiveram os nomes revelados foram socorridos e não correm risco de morte.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

GCMs detém homem que havia praticado roubo e são ameaçados - Grupamento de Motociclistas IOPE intervém e controla a situação

Na manhã desta quinta (08), na região da Nova Luz - centro de São Paulo, um indivíduo que havia praticado um roubo utilizando uma faca foi abordado pela Guarda Civil Metropolitana. Durante a abordagem, usuários de entorpecentes da região tentaram retirar o homem que estava sob a custódia da GCM. Com o pedido de apoio, os integrantes do Grupamento de Motociclistas IOPE chegaram ao cruzamento das ruas Dino Bueno e Helvétia. Os revoltosos passaram a arremessar nos agentes pedras e outros objetos, além de utilizar pedaços de madeira como porretes.
Foi montada uma linha de contenção pelos motociclistas para evitar que os manifestantes chegassem aos equipamentos e agentes do Programa Braços Abertos, da Prefeitura de São Paulo.


para passar o tempo

Abaixo, a decisão do desembargador José Luiz Palma Bisson, do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferida num recurso de agravo de instrumento ajuizado contra despacho de um magistrado da cidade de Marília (SP), que negou os benefícios da justiça gratuita a um menor, filho de um marceneiro que morreu depois de atropelado por uma motocicleta.
O menor ajuizou uma ação de indenização contra o causador do acidente pedindo pensão de um salário-mínimo, mais danos morais decorrentes do falecimento do pai. Por não ter condições financeiras para pagar custas do processo, o menor pediu a gratuidade prevista na Lei 1060/50. O juiz, porém, negou-lhe o direito, argumentando que ele não apresentara prova de pobreza e, também, por estar representado no processo por "advogado particular".
Eis o relatório de desembargador:
"Que sorte a sua, menino, depois do azar de perder o pai e ter sido vitimado por um filho de coração duro - ou sem ele , com o indeferimento da gratuidade que você perseguia. Um dedo de sorte apenas, é verdade, mas de sorte rara, que a loteria do distribuidor, perversa por natureza, não costuma proporcionar. Fez caber a mim, com efeito, filho de marceneiro como você, a missão de reavaliar a sua fortuna.
Aquela para mim maior, aliás, pelo meu pai - por Deus ainda vivente e trabalhador - legada, olha-me agora. É uma plaina manual feita por ele em pau-brasil, e que, aparentemente enfeitando o meu gabinete de trabalho, a rigor diuturnamente avisa quem sou, de onde vim e com que cuidado extremo, cuidado de artesão marceneiro, devo tratar as pessoas que me vêm a julgamento disfarçados de autos processuais, tantos são os que nestes vêem apenas papel repetido. É uma plaina que faz lembrar, sobretudo, meus caros dias de menino, em que trabalhei com meu pai e tantos outros marceneiros como ele, derretendo cola coqueiro - que nem existe mais - num velho fogão a gravetos que nunca faltavam na oficina de marcenaria em que cresci; fogão cheiroso da queima da madeira e do pão com manteiga, ali tostado no paralelo da faina menina.
Desde esses dias, que você menino desafortunadamente não terá, eu hauri a certeza de que os marceneiros não são ricos não, de dinheiro ao menos. São os marceneiros nesta Terra até hoje, menino saiba, como aquele José, pai do menino Deus, que até o julgador singular deveria saber quem é.
O seu pai, menino, desses marceneiros era. Foi atropelado na volta a pé do trabalho, o que, nesses dias em que qualquer um é motorizado, já é sinal de pobreza bastante. E se tornava para descansar em casa posta no Conjunto Habitacional Monte Castelo, no castelo somente em nome habitava, sinal de pobreza exuberante.
Claro como a luz, igualmente, é o fato de que você, menino, no pedir pensão de apenas um salário mínimo, pede não mais que para comer. Logo, para quem quer e consegue ver nas aplainadas entrelinhas da sua vida, o que você nela tem de sobra, menino, é a fome não saciada dos pobres.
Por conseguinte um deles é, e não deixa de sê-lo, saiba mais uma vez, nem por estar contando com defensor particular. O ser filho de marceneiro me ensinou inclusive a não ver nesse detalhe um sinal de riqueza do cliente; antes e ao revés a nele divisar um gesto de pureza do causídico. Tantas, deveras, foram as causas pobres que patrocinei quando advogava, em troca quase sempre de nada, ou, em certa feita, como me lembro com a boca cheia d'água, de um prato de alvas balas de coco, verba honorária em riqueza jamais superada pelo lúdico e inesquecível prazer que me proporcionou.
Ademais, onde está escrito que pobre que se preza deve procurar somente os advogados dos pobres para defendê-lo? Quiçá no livro grosso dos preconceitos...
Enfim, menino, tudo isso é para dizer que você merece sim a gratuidade, em razão da pobreza que, no seu caso, grita a plenos pulmões para quem quer e consegue ouvir.
Fica este seu agravo de instrumento então provido; mantida fica, agora com ares de definitiva, a antecipação da tutela recursal.
É como marceneiro que voto.
José Luiz Palma Bisson - relator sorteado"
Complementando a informação sobre o Processo (por JusBrasil):
Agravo de Instrumento 0084039-57.2005.8.26.0000
Relator (a): Palma Bisson
Comarca: Marília
Órgão julgador: 36ª Câmara do D.OITAVO Grupo (Ext. 2º TAC)
Data do julgamento: 19/01/2006

o azul marinho sempre fazendo parte da historia de São Paulo






conheça melhor o IOPE




GCM inicia Campanha Itinerante do Desarmamento em Itaquera



 Entre os dias 05 e 09 de maio, a Guarda Civil Metropolitana promove a entrega voluntária de armas e munições, em Itaquera, zona leste da cidade.
A Base Móvel da corporação, especialmente preparada pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para a Campanha do Desarmamento, ficará das 09h às 17h, na Rua Augusto Carlos Bauman, nº 851. 
A iniciativa busca chamar a atenção para as mortes que poderiam ser facilmente evitadas, se não fosse a presença de uma arma em casa, já que todos os anos mais de 38 mil brasileiros morrem vítimas de armas de fogo. 
Quem não conseguir realizar a entrega nesse posto provisório, pode se dirigir - a qualquer momento - a uma das trinta e cinco unidades fixas da GCM, que funcionam durante o ano todo. 
Para saber o endereço dos postos fixos ligue 153 ou acesse o site:www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/seguranca_urbana/guarda_civil/ 
Essa ação conta com o apoio da Subprefeitura de Itaquera e do Instituto Sou da Paz. 
Durante a Campanha do Desarmamento em 2013, a GCM recebeu voluntariamente 1.240 armas. E só nos primeiros três meses desse ano, 287 armas já foram entregues nas unidades da GCM. 
O que é preciso saber?
  • Não é preciso se identificar e nem dizer de onde veio a arma.
  • Portar arma é crime, portanto lembre-se de imprimir a guia de trânsito que autoriza o transporte da arma até o posto de entrega.
  • Separe a arma da munição e embale de forma que impeça o uso imediato.
  • A indenização varia de R$ 150 a R$ 450, dependendo da arma.
  • Armas de brinquedo, de fabricação caseira e munições também devem ser entregues, mas não há previsão de indenização para estes itens.
  • No posto, você cadastrará uma senha e receberá um recibo, com isto poderá sacar sua indenização em qualquer caixa do Banco do Brasil, 24h após a realização da entrega.
  • As armas serão danificadas.

tabela salarios plano de carreira





















APOSENTADORIA ESPECIAL PARA A GCM: VEREADORA EDIR SALES PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA COM PROCURADOR GERAL DO MUNICÍPIO

O Procurador Geral do Município, Dr. Robinson Barreirinhas, e o Chefe Jurídico da 

Procuradoria, Dr. Tiago Rossi, receberam a vereadora Edir Sales em audiência, nesta 

sexta-feira, 09 de maio. A reunião aconteceu na sede do órgão, onde Edir Sales 

oficializou, com a entregou de ofício, a solicitação de apoio e urgente manifestação 

favorável à aposentadoria especial concedida à GCM - Guarda Civil Metropolitana.

O benefício, que foi aprovado e promulgado na Câmara Municipal de São Paulo, em 

dezembro do ano passado, está na Procuradoria aguardando a elaboração de um 

parecer final. De acordo com o Dr. Robinson Barreirinhas, é preciso aguardar um 

pouco mais, e ressaltou que se empenhará para resolver a questão o quanto antes. 

Edir Sales, que está sempre batalhando para ampliar os direitos da corporação, saiu 

otimista do encontro. “Confio na sensibilidade e no bom senso do Executivo para 

fazer cumprir a Lei Orgânica do Município”, afirmou a parlamentar.

formatura do curso de linguas senasp

Hoje estive presente em evento de formatura da turma de formandos do curso de línguas, inglês e espanhol, ministrado no CFSU. O qual visava entregar os certificados de conclusão para todos os formandos, imagine a minha surpresa ao perceber que meus parceiros irmãos de base não serem chamados para receber o certificado como aconteceu com vários policiais que concluíram o curso com estes dois companheiros de unidade, afinal o evento era para todos ou apenas para alguns que representariam todos se assim fosse porque deslocar um profissional para uma formatura onde ele seria o homenageado e não fazer este ato, ao invez disso entregara  seu certificado em uma mesa no canto da sala, para isso poderia ter sido enviado para a base de origem do policial e não fazer o mesmo se deslocar para ficar sentado apenas olhando.
foi como se graduar na universidade e ver meus colegas pegarem seus canudos e eu sair de mãos vazias. foi um belo evento, mas não podia deixar de registrar minha indignação perante a falta de reconhecimento publico de meus irmãos de unidade por isso eu parabenizo meus parceiros de unidade

GCM 1 CLASSE AILTOM
GCM 2 CLASSE JOSE

formandos no curso de língua inglesa .

vamos aprender com exeplos


Boa noite!!!!
Relato de um Ex policial Militar, que foi julgado e condenado por uma sociedade imunda
Trabalhei 22 anos em pro desta medíocre sociedade, Comportamento Excelente, elogios, etc, espero que nenhum de vcs caiam nessa armadilha que caí. Voltava pra casa com minha esposa e avistei um casal sendo assaltado, minha esposa pediu pra que eu ignorasse, mais meu sangue correu fervendo em minhas veias e não dei ouvido a minha esposa, esperei o melhor momento, que não oferecesse risco ao casal, efetuei 02 disparos derrubando o assaltante de imediato, mais não percebi q outro bandido dava cobertura, levei 02 tiros, acertando meu braço e minha perna, consegui revidar, acertei 03 tiros no vagabundo que tentava correr, pensei que grande ocorrência que fiz, dois bandidos mortos, duas armas apreendidas, pertences do casal recuperados, achei que tinha cumprido a missão veio a decepção, o mundo parecia que cairia em minha cabeça. Tive minha arma apreendida, respondi a IPM, passei a responder por homicídio, fiquei 06 anos preso, acusado perante o júri de ter colocado a vida de um casal em risco de morte e de ter executado um dos bandidos pelas costas, por esta declaração fui condenado. Peço a todos os Policiais que tiverem acesso a este depoimento,não caiam nessa armadilha, não troque a sua liberdade por esta sociedade, que só nos condena, pensem nos seus familiares, pois eles sim sentem amor por vocês. Na folga, não compre briga que não é sua, quando estiver de serviço, trabalhe certo, tudo que pegar de errado leve pra delegacia, se for transito, proceda, não aceite migalhas, dessa sociedade medíocre que 80% anda na ilegalidade, se oferecer cafezinho, de voz de prisão na hora, não se sinta intimidado, trabalhe certo com tolerância zero, quero ver essa sociedade imunda que defende bandido lhe julgar e condenar vocês. Um forte abraço e confio em todos vocês.
mensagem de um Ex Policial Militar arrependido, com sangue nas veias

terça-feira, 6 de maio de 2014

desfazimento na região

 mais uma missão delicada realizada pela GCM, em um local onde foi preciso estar sempre atento com a segurança de todos os envolvidos na missão


 sempre presente a gloriosa azul marinho desempenhou com excelência seu papel estão todos de parabéns



 local da missão;

Rua almirante nunes 98
Heliopolis
equipes no local;
Vtr  O-4121  enc- cd marcelo
                         Mot-gcm cheloni
                         Aux- torssini

Vtr O4110    enc- cludemir
                        Mot- ivo
                        Aux-almeida

operação na região

 operação de desfazimento realizada na região do heliópolis atrás do céu meninos
 muitos elementos que estavam esperando uma oportunidade para manchar a imagem do azul marinho
mas não tiveram exito e tiveram que se retirar sendo demonstrado mais uma vez o profissionalismo da GCM